domingo, 28 de setembro de 2008

Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa




O presidente Luiz Inácio Lula da Silva assina nesta segunda-feira (29) o decreto estabelecendo o cronograma de implantação do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa no país. O decreto prevê a padronização ortográfica entre os países da língua portuguesa na sede da ABL (Academia Brasileira de Letras), no Rio. A escolha da data acontece em homenagem ao escritor Machado de Assis. Nesta segunda a morte do escritor completa 100 anos.
A reforma ortográfica vem sendo discutida desde 1990 pelos países que integram a CPLP (Comunidade de Países de Língua Portuguesa): Brasil, Portugal, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Angola, Moçambique, Guiné-Bissau e Timor-Leste.
O Brasil será o primeiro país a implementar as regras oficialmente. As mudanças serão feitas de forma paulatina a partir de 1º de janeiro de 2009, com um prazo de conclusão até o início de 2013. O decreto determina que nos quatro anos de transição sejam aceitas as duas formas.
As mudanças devem atingir aproximadamente 0,5% das palavras adotadas no Brasil. Nos demais países as alterações podem alcançar 1,6%. As mudanças mais significativas estão relacionadas à acentuação de palavras, incluindo a extinção do trema.
A assinatura do decreto contará com a participação dos embaixadores de Portugal, Moçambique e Angola. Também participam da solenidade os ministros Fernando Haddad (Educação), Juca Ferreira (Cultura) e o governador do Rio, Sérgio Cabral.
Novas regras
O acordo incorpora tanto características da ortografia utilizada por Portugal quanto a brasileira. O trema, que já foi suprimido na escrita dos portugueses, desaparece de vez também no Brasil. Palavras como 'lingüiça' e 'tranqüilo' passarão a ser grafadas sem o sinal gráfico sobre a letra 'u'. A exceção são nomes estrangeiros e seus derivados, como 'Müller' e 'Hübner'.
Seguindo o exemplo de Portugal, paroxítonas com ditongos abertos 'ei' e 'oi' --como 'idéia', 'heróico' e 'assembléia'-- deixam de levar o acento agudo. O mesmo ocorre com o 'i' e o 'u' precedidos de ditongos abertos, como em 'feiúra'. Também deixa de existir o acento circunflexo em paroxítonas com duplos 'e' ou 'o', em formas verbais como 'vôo', 'dêem' e 'vêem'.
Os portugueses não tiveram mudanças na forma como acentuam as palavras, mas na forma que escrevem algumas delas. As chamadas consoantes mudas, que não são pronunciadas na fala, serão abolidas da escrita. É o exemplo de palavras como 'objecto' e 'adopção', nas quais as letras 'c' e 'p' não são pronunciadas.
Com o acordo, o alfabeto passa a ter 26 letras, com a inclusão de 'k', 'y' e 'w'. A utilização dessas letras permanece restrita a palavras de origem estrangeira e seus derivados, como 'kafka' e 'kafkiano'.
Dupla grafia
A unificação na ortografia não será total. Como privilegiou mais critérios fonéticos (pronúncia) em lugar de etimológicos (origem), para algumas palavras será permitida a dupla grafia.
Isso ocorre principalmente em paroxítonas cuja entonação entre brasileiros e portugueses é diferente, com inflexão mais aberta ou fechada. Enquanto no Brasil as palavras são acentuadas com o acento circunflexo, em Portugal utiliza-se o acento agudo. Ambas as grafias serão aceitas, como em 'fenômeno' ou 'fenómeno', 'tênis' e 'ténis'.
A regra valerá ainda para algumas oxítonas. Palavras como 'caratê' e 'crochê' também poderão ser escritas 'caraté' e 'croché'.
Hífen
As regras de utilização do hífen também ganharam nova sistematização. O objetivo das mudanças é simplificar a utilização do sinal gráfico, cujas regras estão entre as mais complexas da norma ortográfica.
O sinal será abolido em palavras compostas em que o prefixo termina em vogal e o segundo elemento também começa com outra vogal, como em aeroespacial (aero + espacial) e extraescolar (extra + escolar).
Já quando o primeiro elemento finalizar com uma vogal igual à do segundo elemento, o hífen deverá ser utilizado, como nas palavras 'micro-ondas' e 'anti-inflamatório'.
Essa regra acaba modificando a grafia dessas palavras no Brasil, onde essas palavras eram escritas unidas, pois a regra de utilização do hífen era determinada pelo prefixo.
A partir da reforma, nos casos em que a primeira palavra terminar em vogal e a segunda começar por 'r' ou 's', essas letras deverão ser duplicadas, como na conjunção 'anti' + 'semita': 'antissemita'.
A exceção é quando o primeiro elemento terminar e 'r' e o segundo elemento começar com a mesma letra. Nesse caso, a palavra deverá ser grafada com hífen, como em 'hiper-requintado' e 'inter-racial'.
Leia mais
Livro detalha mudanças do acordo ortográfico, já adotadas nesta reportagem
Ministério da Educação abre consulta pública sobre reforma
Premiê evita definir data para implantar acordo ortográfico
Acordo ortográfico será adotado no máximo em 2012, diz MEC


Colaboração para a Folha Onlineda Agência Lusa
Texto atualizado às 20h50

ENADE


Selecionados para Enade 2008 serão conhecidos no próximo dia 26
Da redaçãoEm São Paulo
O Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) divulga no próximo dia 26 a lista com os alunos selecionados para fazer a prova. Os alunos que não forem selecionados podem participar do Enade como voluntários. As instituições devem informar a opção do aluno dispensado até o dia 3 de outubro. Puderam se inscrever estudantes ingressantes e concluintes habilitados ao exame. O MEC considera ingressantes os estudantes que, até o dia 1º de agosto, concluíram entre 7% e 22% da carga horária do curso. Os concluintes são aqueles que, até a mesma data, concluíram pelo menos 80% da grade curricular mínima do curso ou então estão em condições de concluir o curso ainda em 2008. O Exame será aplicado no dia 9 de novembro, às 13h e terá duração de quatro horas.
DiretrizesAs diretrizes das áreas avaliadas pelo Enade 2008 estão disponíveis para consulta desde o último dia 11. O conteúdo disponível é de áreas específicas e gerais, comum a todos os cursos. Este ano serão avaliadas 12 áreas: arquitetura e urbanismo, biologia, ciências sociais, computação, engenharia, filosofia, física, geografia, história, letras, matemática, pedagogia e química. Entram também na avaliação cursos superiores de tecnologia em: construção de edifícios, alimentos, automação industrial, gestão da produção industrial, manutenção industrial, processos químicos, fabricação mecânica, análise e desenvolvimento de sistemas, redes de computadores e saneamento ambiental. A prova de formação geral terá dez questões, discursivas e de múltipla escolha, que abordarão situações-problema, estudos de caso, simulações e interpretação de texto, imagens, gráficos e tabelas. As questões discursivas abordarão aspectos como clareza, coerência, coesão, estratégias argumentativas, utilização de vocabulário adequado e correção gramatical do texto. Na parte específica, os alunos terão que responder a 30 questões sobre a área de sua formação.
(FONTE - UOL - REDAÇÃO SÃO PAULO)

VENCER COMO PROFESSOR


Como qualquer profissão, a docência passa por mudanças constantes e isso depende intensamente da confiança que o professor coloca em si mesmo, a vontade de transpor os desafios. Não será nada diferente que para a melhoria e qualidade de suas aulas, serão necessárias estratégias e abordagens diferentes.O profissional da educação só será capaz de compreender os acontecimentos ao seu redor quando a sua mentalidade optar por caminhos mais maduros, pois os acontecimentos serão gerados por si mesmo.Vivemos necessariamente em uma época em que se preza o conhecimento, portanto devemos aprender também a escutar e reavaliar a sua missão como docente.Como professor é necessário se sentir bem, saber servir aos seus alunos. Observamos que nos padrões ocidentais o servir remete a uma idéia de sujeição. Por isso que muitas vezes ouvimos que se é professor há um desrespeito ou mesmo uma diminuição profissional. No oriente, servir é uma causa nobre que enaltece e enobrece a alma. Portanto, entendemos que em vários países orientais, apesar do modelo pedagógico, tem os melhores rendimentos em aprendizagem, simplesmente porque não é preciso convencer nenhum professor da importância de sua profissão, pois já é inato e faz parte da sua cultura.Inúmeras são as possibilidades dos educadores buscarem aperfeiçoamento e reciclagem de seus conhecimentos aumentando suas competências. Os estudantes ganham pelo motivo de estarem diante de profissionais bem preparados que saibam reter a atenção na difusão do conhecimento.O professor não precisa utilizar subterfúgios em suas aulas a fim de somente agradar seus alunos. É provado em pesquisas que os alunos sempre lembram dos professores que foram mais exigentes, portanto respeito e confiança são pontos importantes do relacionamento. É necessário conhecimento de relacionamento humano para transmitir informações, saber como o aluno recebe e armazena essas informações. Reitero novamente que devemos focar na aprendizagem.É necessário como em qualquer profissão muita ousadia para o sucesso.Para finalizar, deixo um pensamento abaixo para refletirmos sobre nossa profissão:“A maturidade começa quando nos damos conta que nosso interesse pelos outros é maior do que nossa preocupação por nós mesmos.” (Anônimo)

Fonte (meu amigo Prof. Jhony Yamada)

Obra de Machado de Assis digital




Obra de Machado de Assis é lançada em formato digital
Em homenagem ao centenário da morte de Machado de Assis, o Ministério da Educação (MEC) lançou ontem (23), no Rio de Janeiro, a obra completa do autor em formato digital. São 243 arquivos, que incluem livros como Dom Casmurro, Memórias Póstumas de Brás Cubas, Quincas Borba e Esaú e Jacó. O lançamento faz parte da abertura da exposição sobre o autor na Biblioteca Nacional.A versão digital das obras é resultado de uma parceria entre o Portal Domínio Público, do MEC, e o Núcleo de Pesquisa e Informática, Literatura e Lingüística (Nupill), da Universidade Federal de Santa Catarina. "Além de comemorar o centenário, nosso objetivo foi o de tornar acessível aos usuários da internet a obra completa, separada por gênero e em ordem cronológica, em edições confiáveis e gratuitas", afirmou o coordenador do portal, Marco Antônio Rodrigues. O ministro da Educação, Fernando Haddad, será representado pelo subsecretário de Assuntos Administrativos, Espártaco Madureira Coelho.Para facilitar o acesso ao acervo digital, será lançada também uma
página na internet na qual estarão disponíveis arquivos sobre o autor; teses e dissertações de autores contemporâneos de Machado de Assis; bibliografia, elaborada por Galante de Souza para a Revista do Livro, do Instituto Nacional do Livro, em 1958, além de um vídeo produzido pela TV Escola. A página apresenta ainda uma relação de endereços eletrônicos que contêm material sobre o escritor.
(fonte Jornal nota 10)


video

Profissões



Profissões
Voltadas para o mercado
As universidades particulares já educama esmagadora maioria dos jovens contratadospelas empresas brasileira
As empresas no Brasil passaram décadas usando um mesmo critério para enxugar as pilhas de currículo acumuladas nos departamentos de recursos humanos: na dúvida entre dois candidatos, ficavam com o que vinha da universidade pública. O quadro começou a mudar nos últimos dez anos, com o aparecimento de centenas de faculdades particulares que despejam milhares de jovens no mercado de trabalho. Uma nova pesquisa mostra em que medida isso teve impacto nas empresas: em 240 das maiores do país, 86% dos funcionários com curso superior saíram de uma instituição privada. Estão distribuídos por todos os escalões. Entre os jovens recém-contratados, os egressos do ensino particular surgem em número ainda maior, o que revela que a tendência só se intensifica: eles são 90% do total. Parte do fenômeno, sobre o qual lançou luz o estudo conduzido pela consultoria Franceschini Análises de Mercado, deve-se à própria expansão acelerada das faculdades particulares. Elas concentram hoje 75% dos universitários. Era esperado, portanto, que também nas empresas houvesse mais deles. O que contribui para a surpreendente predominância das particulares é o fato de oferecerem às empresas formandos com uma visão mais focada nas questões práticas do mercado de trabalho. Resume Sofia Esteves, da Companhia de Talentos, responsável pelo recrutamento de jovens para 160 das grandes empresas no país: "O ensino privado está formando jovens mais prontos para a vida real".
O conjunto de escolas particulares de nível superior que realmente interessa às empresas é, na verdade, bastante reduzido. Constitui-se, basicamente, daquelas que sobressaem nas avaliações do Ministério da Educação (MEC) – e não das que colecionam notas medianas ou ruins, caso de 95% delas. O avanço dos outros 5% é evidente. No último ranking oficial, divulgado neste mês, oito delas figuravam entre as dez melhores faculdades do país e apenas duas eram públicas. Juntas, as particulares atraem quase metade dos Ph.Ds. brasileiros, o dobro de dez anos atrás. Além dos sinais de excelência, as melhores universidades privadas despertam a atenção das empresas porque, na comparação com as públicas, têm um currículo bem menos teórico. Um levantamento recente traz os números para o curso de administração de empresas, entre os mais procurados do país. Nas particulares, 40% das aulas são práticas. Nas públicas, apenas 20%. É uma pequena amostra de um cenário bem mais geral.

Fonte: Revista veja de 20/09/08 /Marcos Todeschini

sábado, 27 de setembro de 2008

Educação a Distância


Ensinar com as novas mídias já é uma revolução, se mudarmos os paradigmas convencionais do ensino que mantêm distantes professores e alunos. Para oferecer cursos a distância, a Instituição deve estar devidamente credenciada para tal.O EAD está normatizado pelo Decreto 5,622/2005 e Portaria Normativa 02/2007 No mundo globalizado, onde o acesso ao conhecimento é o capital mais importante de uma sociedade, é preciso ter acesso à informação e a produção de conhecimento. Saber informática é fundamental para o avanço da educação. É preciso ensinar alunos e professores a lidar com as novas tecnologias para que tenham acesso à produção de conhecimento. Se você não trabalha a formação de professores como prioridade, como agente principal do processo educativo, dificilmente alcança educação de qualidades para todos. A verdadeira construção do conhecimento se dá através de uma troca, de uma relação dialógica, ou seja, acontece através das relações com os outros e com o mundo. A demanda pela EAD cresce a cada dia para atender ás exigências de um mundo em mudança aceleradas e com menor disponibilidade de tempo e espaços formais para a educação. Hoje várias instituições de ensino desenvolvem estudos e experiência para aperfeiçoar o processo de transposição da educação para além de seus muros. As novas TICs têm um grande potencial e está trazendo importantes mudanças à educação. A EAD é uma metodologia de ensino que possibilita a auto-aprendizagem, com mudanças de recursos didáticos, de maneira informe. Objetivo da EAD,é aproximar as pessoas, encurtando distância.O ensino Superior a Distância dará a chance de estudo ás pessoas de região longínquas.Esse tipo de ensino contribui para suprir a carência de vagas públicas na educação superior. Perfil do aluno da EAD,Possibilidade de acesso ao saber Mudanças Flexibilidade Os alunos muitas vezes querem fazer um curso Superior, mais não tem tempo ou moram longe das Universidades. Nesse caso a EAD tornou-se uma alternativa. É notório que na EAD a Interatividade entre Professor X Alunos é essencial, visto que sem essa interação o aprendizado pode ser realizado, mas a sua qualidade e o valor significativo ficam comprometidos. Essas vantagens são relevantes na educação, proporcionando uma maior produtividade, rapidez, e retorno imediato. O ambiente inovador da EAD torna-se um agente de mudanças e transformações das práticas pedagógicas, onde o aluno é instrumentalizado para investir em sua formação, apropriando-se de conhecimento. Democratização do acesso ao ensino por meio da modalidade de educação à distância, visando levar cursos de ensino superior voltado para o mercado de trabalho. O estudo a distância em nível superior já é uma realidade consolidada no mundo há muitos anos. Em 2001 nos Estados Unidos mais de 3 milhões de alunos estudavam em curso de graduação e pós-graduação à distância. Entidades certificadoras da qualidade de ensino dos países desenvolvidos, e mais recentemente do Brasil-MEC, reconhecem a qualidade do ensino a distância em nível superior. Os benefícios para os alunos são inegáveis e a qualidade não é inferior à dos cursos presenciais. Atualmente já temos mais de 3 milhões de brasileiros fazendo uso da EAD,recebendo conhecimentos e experiências educativas novas através das mais variadas tecnologias e em todos os níveis de aprendizagem.Todos aqueles que,desejando participar ativamente da economia têm de atualizar seus conhecimentos profissionais e pessoais. Está cada vez mais presente na consciência do HOMEM atual que os fantásticos avanços tecnológicos que vem ocorrendo nas últimas décadas estão produzindo profundas transformações em quase todos os setores da vida social, econômica e política das sociedades, qualquer que seja seu estágio de desenvolvimento. Com as Novas TICs estamos vivendo na era da Pedagogia Transformativa e a educação se afastando cada vez mais dos modelos Tradicionais de educação bancária, estruturais reprodutivas, criticada severamente desde os anos 80 por Paulo Freire e outros tantos educadores.